Artigos

Somos servidores públicos, Somos trabalhadores!

Hoje vou escrever sobre os servidores públicos, categoria da qual hoje faço parte.   Sou um servidor extemporâneo, prestei concurso no ano de 2009 e fui chamado em 2014. Tenho só 6 anos no serviço público, sou um verdadeiro novato. Apesar de novato no serviço público, tenho 52 anos e antes que alguém pense bobagem …

Hoje vou escrever sobre os servidores públicos, categoria da qual hoje faço parte.

 

Sou um servidor extemporâneo, prestei concurso no ano de 2009 e fui chamado em 2014. Tenho só 6 anos no serviço público, sou um verdadeiro novato.
Apesar de novato no serviço público, tenho 52 anos e antes que alguém pense bobagem deixo claro que trabalho desde o ano de 1978.
Meu primeiro trabalho foi com 10 anos, como secador de semente de braquiaria. Passava o dia andando descalço num terreiro onde as sementes estavam espalhadas, com o objetivo de arejar as sementes e fazê -las secar e evitar o mofo.
Depois, com incríveis 12 anos, fui promovido e fui trabalhar como auxiliar de escritório. Passei a ser responsável pela leitura de discos marcadores das horas de trabalho dos tratoristas da Fazenda.
– É importante deixar claro que comecei a trabalhar por vontade própria, meus pais nunca me obrigaram.
Penso que todos da minha geração tem mais o menos a mesma história de vida que a minha, vida de trabalhador.
Estudei um bocado até hoje, sempre no intuito de melhorar minha condição de trabalhador. Formei-me em técnico de contabilidade, técnico em agropecuária, direito e estou (eternamente) cursando filosofia.
Meus estudos pautaram minha vida profissional, atuei em todas essas áreas.
Fui empresário também, mas acho que não estava no meu sangue e vendi minha empresa.
Hoje, sou advogado e servidor público.
Minha vida como servidor começou na extinta Secretaria de Justiça e Direitos Humanos,e, atualmente, trabalho no Sistema Penitenciário do Estado de MT.
Sou Gestor Governamental e minhas atribuições estão diretamente ligadas com o planejamento, monitoramento e execução das políticas públicas.
Gosto do que faço e procuro fazer o meu melhor.
Sou um servidor. Nada mais e nada menos do que um trabalhador que só tem o próprio tempo pra vender.
– Não é fácil fazer uma autoanálise, pois posso estar me autovalorizando em demasia!
Mesmo correndo o risco de ser arrogante, acredito que sempre pautei minhas ações na ética, respeito e bem público.
Eu gosto do que faço e por isso procuro me esforçar ao máximo pra fazer bem.
Não sou um caso isolado, igual a mim é a maioria dos servidores públicos.
Por mais que atualmente a tendência é destruir com a imagem dos servidores, ainda somos a última esperança do Brasil.
Somos nós que fazemos a máquina funcionar!
Somos nós que fazemos as políticas públicas se efetivarem!
Somos nós que servimos o povo!
Quem está atendendo a população nessa pandemia?
SERVIDORES PÚBLICOS.
Quem está apagando os incêndios provocados pela ganância desenfreada?
SERVIDORES PÚBLICOS.
Quem defende o interesse das minorias?
SERVIDORES PÚBLICOS.
É lógico que entre nós existem algumas maçãs podres, isso é um fato e faz parte da natureza humana.
Maçãs podres existem em todo lugar. Existem padres e pastores com desvios éticos; políticos e juízes corruptos; e empresários e banqueiros desonestos.
Isso, no entanto, nunca poderá ser generalizado a ponto de afirmarmos que todos os padres e pastores são antiéticos.
A pergunta que surge é: POR QUE O BRASIL ESTÁ CAÇANDO SEUS SERVIDORES PÚBLICOS?
Não sei a resposta.
Sei uma coisa, porém. Sei que nesses 6 anos como servidor tive o privilégio de trabalhar com as pessoas mais qualificadas, éticas e comprometidas que conheci na minha vida como trabalhador.
– Já estou com 36 anos de tempo de serviço.
Não consigo entender o porquê da sociedade brasileira estar dispensando esse tratamento a nós.
A reforma da previdência aprovada na última semana é uma excrescência, mas diz muito da falta de respeito como somos tratados.
Dezesseis deputados, dentre eles alguns servidores, sem qualquer pudor ou consideração nos acusaram, julgaram e nos condenaram a mais de 40 anos de serviço.
Quarenta anos de serviço sofrendo um desconto de 14% de nosso rendimentos brutos.
Não sou um pessimista. Sei que estamos numa pior agora, mas prefiro confiar na nossa força.
Sabem por que sei disso?
Porque mesmo passando por tudo isso continuamos firmes!
CONTINUAMOS SERVINDO.

Bernardo Morais Filho
Advogado
Gestor Governamental de MT

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Itens relacionados