Destaque Geral Noticias

Servidores continuam no enfrentamento da pandemia mesmo sem receber direitos

O SISMA mantém a articulação junto ao Governo do Estado e denunciou a situação ao Ministério Público do Trabalho.

 

Mesmo com o esforço frente a um cenário de escassez de insumos e de pagamento de verba alimentar, os trabalhadores da saúde de todas as áreas continuam no enfrentamento da pandemia em Mato Grosso. A informação é do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde do Estado de Mato Grosso (SISMA/MT).

De acordo com a presidente do sindicato, Carmen Machado alguns servidores esperando há 12 meses pelos adicionais de plantão e trabalho noturno, nas unidades vinculadas ao Governo do Estado. O fato é comprovado pelo próprio Diário Oficial do Estado (DOE) que traz as publicações das datas de aquisição dos adicionais, nos Hospitais Regionais de Rondonópolis, Sinop, Alta Floresta, Cáceres, Colíder e Metropolitano, em Várzea Grande, MT Hemocentro, Serviço de Verificação de Óbitos (SVO) e Ciaps-Adauto Botelho.

Carmen Machado conta que já realizou todas as medidas administrativas, jurídicas e políticas, para garantir os direitos dos trabalhadores. Sendo que em março, o sindicato denunciou a situação Ministério Público Estadual, visto que não foram encontradas soluções administrativas para os atrasos, fato comprovado pelos ofícios endereçados à Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT) e pautas de reunião com os gestores do órgão que comprovam a tentativa de solução por parte do sindicato.

Porém, até o momento não houve avanço junto à Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT) para a solução do problema. “O ideal é que tenhamos um sistema mais eficiente para que os servidores recebam justamente pelo que trabalharam. Enquanto isso não acontece, o mínimo que deve ser feito é garantir o pagamento do direito que já foi adquirido, pois não é justo que esses profissionais tão necessários à sociedade, especialmente neste momento de pandemia, além de arcar com o peso emocional do enfrentamento do covid-19, ainda sofrem perdas financeiras”, completou.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Itens relacionados