Geral Noticias Política

Parlamentares apresentam propostas para o retorno das aulas presenciais

A videoconferência realizada pela Associação Mato-grossense dos Municípios para discutir o retorno das atividades escolares contou com a participação de diversas entidades, prefeitos de todas as regiões e de parlamentares.

O presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, deputado estadual Wilson Santos, ressaltou que é favorável à volta das aulas presenciais. Ele informou que a Assembleia já vetou a medida condicionando o retorno às atividades somente com a vacinação geral. O Sindicato da categoria dos profissionais da educação defende a imunização 100%, para retornar às salas de aula.

Durante a vídeoconferência, ele apresentou a proposta de antecipar a segunda dose da vacina para os todos os professores das redes municipal e estadual.“Se antecipar a segunda dose da vacina, desaparece a celeuma. Que seja feita a antecipação e para isto é preciso fazer um alinhamento entre os municípios e o governo estadual, para garantir o retorno das aulas até o próximo dia 3 de agosto”.

Mas o deputado estadual Lúdio Cabral, que é médico sanitarista, defendeu o retorno das aulas presenciais somente a partir do dia 15 de setembro. Ele alerta que o retorno agora tambem é um indicador epidemiológico e garante que a imunização completa dos profissionais da Educação, reduz a capacidade de disseminação do vírus no ambiente escolar.

Outro fator apontado por ele é a taxa de incidência de novos casos de covid-19. Ele lembra que  o professor fica muito tempo falando em sala de aula e tem que se proteger com  a máscara-PSS2, com boa ventilação no ambiente e outras condições estruturais. Os  cuidados com as crianças devem ser redobrados, pois elas também que podem se infectar.

O deputado explicou que é preciso observar a média móvel de 1.200 casos notificados todos os dias e que taxa de incidência de casos por número de habitantes é real. “Estamos na descida da segunda onda da epidemia em Mato Grosso, mas é necessário ficar atento, pois estamos no período do inverno. É neste período que as doenças respiratórias se manifestam mais. Mesmo imunizados, podemos se infectados  e transmitir o vírus. Somente com a cobertura vacinal total da população vai reduzir a circulação do vírus”, alertou, destacando que, com o retorno, é necessário a  testagem a cada 15 dias dos profissionais da educação.

Lúdio disse ainda que não é correto antecipar a segunda dose da vacina por decisão administrativa, pois é uma questão da saúde sanitária. O efeito do inverno é maios grave em agosto e cada território tem uma cobertura diferente. “Portanto, defendo o adiamento das aulas. Em agosto não tem condições de voltar às salas de aula”, disse o parlamentar.

Fonte: AMM

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Itens relacionados