Destaque Judiciário

Justiça de MT define data para cumprimento de prisão domiciliar de ex-deputado após acordo

Conforme a decisão, o ex-deputado cumprirá a prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica. Riva responde a mais de 100 ações cíveis e criminais na Justiça A Justiça definiu a data para o ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), José Geraldo Riva, começar a cumprir a prisão domiciliar, resultado do acordo de delação …

Conforme a decisão, o ex-deputado cumprirá a prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica. Riva responde a mais de 100 ações cíveis e criminais na Justiça

A Justiça definiu a data para o ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), José Geraldo Riva, começar a cumprir a prisão domiciliar, resultado do acordo de delação premiada que ele fez com o Ministério Público no início deste ano.

A delação foi homologada no dia 20 de fevereiro pelo desembargador Marcos Machado.

Conforme a decisão do Tribunal de Justiça, José Riva começa a cumprir a prisão domiciliar a partir do próximo dia 5 de outubro. A prisão estava prevista para começar em junho, mas a data foi adiada por causa da pandemia do novo coronavírus.

O ex-deputado vai ser monitorado por tornozeleira eletrônica.

Documentos que teriam sido entregues pelo ex-deputado ao MPE, como parte de uma proposta do acordo de colaboração premiada, trazem à tona um suposto esquema que teria pago R$ 175 milhões em propina a deputados entre os anos de 1995 e 2015.

No documento de 105 páginas consta uma lista com os nomes de 38 deputados e ex-deputados que teriam recebido mensalinho para aprovar e não atrapalhar os interesses do governo.

Ele disse ainda que os parlamentares recebiam essa espécie de mensalinho para votar a favor dos projetos do governo estado. José Riva garante que tem como provar, com comprovantes bancários e notas promissórias, a existência desse esquema de corrupção.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Itens relacionados