Destaque Judiciário

Hospital Militar – Coronel denuncia suposta “máfia” instalada na atual gestão

O Coronel Edson Leite da Silva, vencedor da última eleição para presidência da Associação Beneficente de Saúde dos Militares do Estado de Mato Grosso – ABSMMT, denuncia um esquema de fraude na diretoria do hospital, que supostamente estariam desviando recursos dos associados para uma conta particular. O Coronel disse que o problema começou quando ele …

O Coronel Edson Leite da Silva, vencedor da última eleição para presidência da Associação Beneficente de Saúde dos Militares do Estado de Mato Grosso – ABSMMT, denuncia um esquema de fraude na diretoria do hospital, que supostamente estariam desviando recursos dos associados para uma conta particular.

O Coronel disse que o problema começou quando ele resolveu ser candidato, pois a diretoria que comandava o hospital queria concorrer com chapa única. A então diretoria, segundo ele, tentou barrar sua candidatura alegando que ele antecedentes que o proibiam de ser candidato.

A tentativa de impugnação da chapa do Coronel Leite foi negada pela justiça. a advogada Débora Simone R. Faria, que representa do coronel disse que a diretoria derrotada descumpriu uma liminar e deu posse ao candidato derrotado José Kleber Duarte Santos. Com isso a defesa entrou na justiça para proibir a posse e nomear um interventor.

O interventor, coronel Dival Pinto, está no comando da diretoria há praticamente três meses. Segundo a advogada, no inicio, eles eram contra a medida, mas isso possibilitou que fosse descoberto um esquema de organização criminosa.

“No inicio éramos contra essa decisão, pois entendiamos que a justiça estava postergando uma análise mais direta. Contudo, observamos que com o passar do tempo que a melhor coisa foi a intervenção.  Com essa interdição conseguimos saber muitas coisas erradas que estavam acontecendo ali dentro”, disse a advogada.

Já o coronel Leite que venceu as eleições com 80 votos, disse que vai brigar na justiça para assumir a vaga que lhe foi concedida democraticamente, com os votos dos associados.

“Quando sair a decisão final, favorável a nossa posse, a primeira coisa que farei será uma auditoria independente. Eles criaram uma verdadeira máfia lá dentro, so que agora vou até o final. A briga vai ser de cachorro grande, eu não vou desistir”, afirmou.

Fonte: Estadão de MT

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Itens relacionados