Destaque

Emanuelzinho é o parlamentar que menos gasta na Câmara Federal

Deputado mais uma vez ganha destaque por ser o parlamentar mato-grossense que menos gastou de sua cota parlamentar     O deputado federal Emanuel Pinheiro Neto (PTB), o Emanuelzinho, mais uma vez ganha destaque por ser o parlamentar mato-grossense que menos gastou de sua cota parlamentar (antiga verba indenizatória), ofertada para custear os gastos exclusivamente …

Deputado mais uma vez ganha destaque por ser o parlamentar mato-grossense que menos gastou de sua cota parlamentar

 

 

O deputado federal Emanuel Pinheiro Neto (PTB), o Emanuelzinho, mais uma vez ganha destaque por ser o parlamentar mato-grossense que menos gastou de sua cota parlamentar (antiga verba indenizatória), ofertada para custear os gastos exclusivamente vinculados ao exercício da atividade parlamentar.

Mesmo em pleno período da pandemia, Emanuelzinho consumiu R$ R$ 138.847,14 mil com o benefício. O mês que ele mais gastou foi em março, quando utilizou R$ 20.322,03 mil. Entre as maiores despesas dele está com a emissão de bilhetes aéreos. Segundo os números da Câmara foram R$ 34,7 mil com viagens.

O deputado tem se pautado pela economia na Câmara Federal. Não é a primeira vez que ele se destaca pelo menor gasto. Os dados são do Portal da Transparência, e são públicos, demonstrando que o petebista tem trabalhado para trazer benefícios para a população, ao mesmo tempo que dá exemplo nos gastos parlamentares.

Neste pacote de gastos, disponível no Portal Transparência, estão inclusas passagens aéreas, combustível, serviços postais, locação de automóveis e outros serviços para desempenho do cargo.

E o trabalho é a prioridade de Emanuelzinho, que protocolizou na junto à presidência da Câmara dos Deputados um requerimento que pede pela suspensão do recesso contido entre os dias 23 de dezembro e 31 de janeiro, sob justificativa de que é necessário o suporte legislativo às medidas necessárias para o combate à pandemia do Coronavírus, principalmente nesse momento, em que a chamada segunda onda parece tomar conta do país.

Segundo Emanuel, as sessões já estão acontecendo de forma remota há meses e tal medida não trará prejuízo a seus pares e será benéfica para o país, que precisa de celeridade na tomada de decisões, principalmente quando o assunto são as ações de combate à Covid-19.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Itens relacionados