Destaque

Centro Cultural Casa di Rose apresenta a Exposição “Artistas do Cerrado”

Serão 13 artistas visuais, com mais de 40 obras inspiradas em personagens, histórias e cores do cerrado Mato-grossense, para serem apreciadas de modo presencial e virtual.   Quem vive em Chapada do Guimarães já pôde vislumbrar esse ícone do cerrado, em forma de flor, o “Pepalantus” conhecido também, como Sempre-Viva Chuveirinho, entre outras variações, catalogadas …

Serão 13 artistas visuais, com mais de 40 obras inspiradas em personagens, histórias e cores do cerrado Mato-grossense, para serem apreciadas de modo presencial e virtual.

 

Quem vive em Chapada do Guimarães já pôde vislumbrar esse ícone do cerrado, em forma de flor, o “Pepalantus” conhecido também, como Sempre-Viva Chuveirinho, entre outras variações, catalogadas em até 400 espécies, foi o que inspirou toda a identidade visual do projeto.

Pensando nisso, a exposição ARTISTAS DO CERRADO chega com a proposta de mostrar toda essa diversidade pelo olhar que cada artista tem, em relação ao cerrado. Com isso, foi possível reunir 13 nomes, no espaço cultural Casa di Rose, em Chapada dos Guimarães, com abertura marcada para o dia 13 de fevereiro das 14h às 20h e vai até o dia 04 de abril. O público também vai poder conferir a exposição através de um tour virtual.

O projeto foi idealizado pela produtora cultural, publicitária e proprietária do Centro Cultural “Casa di Rose”, Roseli Carnaíba. Com curadoria da artista visual Ruth Albernaz que nos revela como fez a concepção da exposição, criada para oportunizar aos artistas de Chapada do Guimarães, mostrar a qualidade de seus trabalhos e a forma de como eles se comunicam com o cerrado, através da arte.

“Na curadoria, as atividades que fizemos para a pré-produção foi de entrar em contato com esses 12 artistas. Sabendo que Chapada tem muito mais artistas, e nos despertou o interesse em realizar uma nova edição, com quem não participou desta. Porque o foco real do projeto é o foco nos artistas, o foco na pessoa, no ambiente do cerrado. Nós os visitamos para ver como eram essas produções, os ateliês, os ambientes de trabalho, o que eles estavam dialogando, quais as materialidades que eles estão trabalhando. Por exemplo: A Alena Maggi está fazendo pintura acrílica sobre tela; A Sandra Vissoto vai participar com colagens de degradação ambiental. Os Campelos (Renato-Angela-Fabricia); O Renato com as paisagens da Chapada dos Guimarães, a Ângela traz o cotidiano com abstrato e a Fabrícia com a temática indígena. Eu vou apresentar Os incêndios no cerrado; Na fotografia, temos o Raí Reis com as paisagens do cerrados e lambe lambes de Xavantes, O Henrique Santian traz os povos originários do cerrado e o Mário Friedlander com as festas populares de Poconé; Nas obras tridimensionais temos as esculturas do Anderson Moura e Lucileicka David; As mandalas da Dani Tamara e, fechamos com a arte educadora Micheli Sierra que vai nos brindar com uma escultura de ‘Trois’. Enfim, teremos neste ambiente, toda uma construção da identidade artística, baseada em plataformas diversas, bem como a valorização da arte popular, da valorização do indigenista e das cenas iconográficas, bi e tridimensionais”, explicou a curadora.

O projeto foi viabilizado por meio da Lei Aldir Blanc. O acervo da exposição vai contar com cerca de 40 obras dentre telas, fotografias e esculturas que estarão à venda no local, até o dia 04 de abril.

“A Casa Di Rose existe há 06 anos, com parcerias de artistas e arte educadores já realizamos apresentações de música, cinema, teatro, poesia e dança, além de workshop de fotografia e estêncil. A idéia da Exposição Artistas do Cerrado é um projeto antigo que graças aos recursos da Lei Aldir Blanc pode sair do papel. Ele vem com o propósito de oferecer arte e cultura ao povo chapadense e aos turistas. Apesar de receber 250 mil turistas por ano a Chapada não possui muitas opções culturais, e eu senti a necessidade de criar uma programação que se estendesse por todo o ano. E que o público pudesse conhecer melhor o universo da arte e da cultura mato-grossense e ainda fazer uma campanha de preservação do cerrado, que é alvo de incêndios todos os anos”, destacou Roseli Carnaíba.

As visitas serão agendadas via WhatsApp, com grupos de no máximo oito pessoas, com todas as medidas de biossegurança. Todos deverão estar usando máscara. Será disponibilizado álcool em gel e faremos aferição de temperatura corporal, com termômetro infravermelho.

Horário de funcionamento da galeria: Sábados, Domingos e Feriados, das 14h às 20h.

Lei Aldir Blanc

A Lei Aldir Blanc foi criada para auxílio financeiro ao setor cultural. A iniciativa buscou apoiar profissionais da área que sofreram com impacto das medidas de distanciamento social por causa do corona vírus.

Foram liberados R$ 3 bilhões para os estados, municípios e o Distrito Federal que poderão ser destinados a manutenção de espaços culturais, pagamento de três parcelas de uma renda emergencial aos trabalhadores do setor que tiveram suas atividades interrompidas, e por meio de instrumentos como editais e chamadas públicas.

Serviço

O que: Exposição “Artistas do Cerrado”

Quando: De 13 de fevereiro a 04 de abril 2021
Horário: Das 14h às 20h
Onde: Espaço Cultural Casa di Rose
Rua: do Penhasco – 105 – Chapada dos Guimarães

Informações e Agendamento pelo: (65) 99603-2633

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Itens relacionados