Destaque Geral Noticias

Atraso salarial: denúncias podem ser feitas para o Ministério da Economia

Vereador T.Coronel Paccola visitou o Ministério da Economia pertinente às declarações de atraso salarial de empresas terceirizadas.

 

 

Desde o lançamento do aplicativo QAQ PACCOLA, que recebe sugestões, denúncias e proporciona transparência dos projetos e leis que tramitam na Câmara Municipal de Cuiabá, colaboradores têm enviado denúncias de atrasos salariais por empresas pagas pelo executivo. Dentre elas, está a Norge Pharma, responsável pela gestão logística de medicamentos do Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá (CDMIC) e a Empresa Cuiabana de Saúde, que contrata os profissionais que atuam nas unidades de saúde como o Hospital Municipal São Benedito e Hospital Municipal de Cuiabá.

Em sua visita, o Superintendente Regional do Trabalho do Ministério da Economia, Eduardo de Souza Maria, orientou que o trabalhador que estiver com o salário, férias, falta de recolhimento do FGTS e demais direitos trabalhistas em atraso ou com dúvidas na disposição da contratação, pode solicitar esclarecimentos e realizar uma notificação sigilosa por telefone, como também preencher o formulário online do Governo Federal/Ministério da Economia, que reporta a denúncia à Superintendência do Trabalho de Mato Grosso, para que uma fiscalização surpresa seja realizada.

Desde que os decretos municipais começaram a impedir o funcionamento das atividades econômicas, muitas companhias deixaram de pagar seus encargos (despesas de pessoas físicas e jurídicas) prejudicando não só a economia, como colaboradores de empresas públicas/privadas.

“Estamos próximos a meados do ano e continuamos recebendo denúncias de atraso salarial destas empresas. Visitamos as instalações públicas e o que ouvimos de seus gestores, são de que os atrasos salariais não estariam ultrapassando a máxima de 10 dias, diferentemente da versão apresentada pelos denunciantes, que relatam atrasos superiores a 03 meses, permanecendo sem recursos até mesmo para abastecer seus veículos para chegar ao trabalho, permanecendo sem condições de comprar mantimentos básicos para a família. E ainda, quando deixam de ir trabalhar por falta de condições financeiras, tem aquele dia descontado”, esclarece o vereador.  

A Superintendência Regional do Trabalho, em Cuiabá, permanece com os atendimentos presenciais suspensos, mas está realizando os encaminhamentos e tirando dúvidas pelos contatos telefônicos e pelo site nacional.

Ministério 01.png

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Itens relacionados