Destaque Geral Política

A solidariedade como ferramenta de combate à Covid e às desigualdades

REDAÇÃO PÁGINA NEWS

Diante das dificuldades sociais provocadas pelas políticas neoliberais de austeridade e também do aprofundamento da pobreza em decorrência da pandemia, a solidariedade tem se tornado uma das ferramentas mais utilizadas pelo brasileiro. Um povo, historicamente solidário, se movimenta fortemente nesse momento para estender a mão aqueles que precisam de mais ajuda.

Prefeituras mato-grossenses, como as de Cuiabá e Várzea Grande também têm recorrido a ações voltadas para a Assistência Social, distribuindo alimentos, produtos de higiene pessoal e cobertores.

Nesse sentido, a servidora pública Emanuelly Alencastro, que atua na Secretaria Municipal de Saúde, destaca a importância dos projetos de assistência social, especialmente os voltados para crianças. “Como mãe, desenvolvi um lado materno forte, inabalável, compreendendo assim as agruras vivenciadas pelas mães daqueles que tento ajudar, levando amor e esperança para crianças em vulnerabilidade social. Consciente da carência de potencial humano para lidar com a essa vulnerabilidade social, o voluntariado tem sido a peça chave para o desenvolvimento de vários projetos nessa direção, e para isso, conta com a colaboração de pessoas que desempenham um papel fundamental no êxito desses projetos”, afirma a servidora.

A servidora e as crianças do Projeto Social em Várzea Grande

Segundo Alencastro, foram as experiências que viveu na Secretaria de Assistência Social de Várzea Grande, durante a gestão de Lucimar Campos, que a fizeram visualizar as áreas em que poderia atuar, aplicando seus conhecimentos para auxiliar e melhor desenvolver os projetos, e participando ativamente do processo de voluntariado. “O nicho encontrado serviu também de inspiração vocacional, despertando o meu verdadeiro papel na sociedade. Fiquei mais atenta a essas situações, que fazem parte do contexto da nossa sociedade, e ciente da minha atuação como voluntária, o que é inovador junto as classes menos abastadas da pirâmide social”, diz.

Para descrever a satisfação que sente a partir do trabalho realizado, a servidora cita o multimilionário Warren Edward Buffett, que em 2008 foi o homem mais rico do mundo. “Plagiando Warren Buffet, o grande investidor do mundo moderno, aquele que faz o que gosta, não trabalha, se diverte. O trabalho voluntário é o que mais me apraz, me ajuda a desenvolver habilidades vocacionais e atender aos que necessitam”, comenta Alencastro.

Além do trabalho realizado na Secretaria, a servidora afirma que também dedica seu tempo livre a serviços voluntários. Interessados em contribuir podem entrar em contato por meio do número (65) 99201-4576.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.

Itens relacionados