ArtigosOpinião

INVASÃO DE VEÍCULOS NO CENTRO HISTORICO DE CUIABA

Cuiabá, cujo centro histórico possui um verde exuberante, casarões monumentais que remetem até o século XVIII, praças elegantes e frondosas, ruas e travessas onde cada centímetro, reporta a identidade de uma capital histórica, rica em cores, traços, contornos nostálgicos e contemporâneos.

Mas como admirar tamanha beleza de nossa capital, se temos nossa visão limitada por VEICULOS, sejam em movimentos ou estacionados.

Ao adentrarmos a Avenida Getulio Vargas, uma das passarelas de nossa história e cultura, não conseguimos vislumbrar a encantadora Praça da República, a imponência da Catedral Metropolitana, a elegância do Palácio da Instrução, do Museu Histórico, a singularidade da Praça Alencastro, do Palácio Alencastro, do prédio do antigo Grande Hotel, do Cine Teatro.

Os veículos além de efetivamente patrocinarem a poluição ambiental, também patrocinam a POLUIÇÃO VISUAL. Motos, Carros, Caminhões, Ônibus, ofuscam a paisagem. Nossas Ruas e travessas charmosamente estreitas como: Rua Antônio João, Galdino Pimentel, Antônio Maria, Travessa João Dias, Avelino Siqueira, João Celestino; foram feitas para os PEDESTRES que andavam livremente pelas ruas, cumprimentando as pessoas, observando a fachada dos prédios e adentrando os estabelecimentos. O que vemos hoje são VEÍCULOS DE USO INDIVIDUAL E PARTICULARIZADO, OCUPANDO ESPAÇOS PÚBLICOS E COLETIVOS.

Indiscutivelmente os veículos são um “Bem Necessário” indispensáveis a vida moderna, mas a preservação da IMAGEM de nosso Centro Histórico, talvez seja o Bem mais importante que devemos promover, pois REFLETE A PRÓPRIA VIDA DA CIDADE. Temos que cuidar do centro, que é o coração de Cuiabá, para que ele possa continuar pulsando fortemente, trazendo vida, bem estar social e mais riqueza econômica, turística e cultural.

Dias atrás, mais precisamente em 28/04/2017, quando houve um movimento de paralisação geral e os ônibus de transporte coletivo não saíram às ruas, pude notar o quanto é URGENTE que tenhamos um transporte público coletivo em larga escala, eficiente, confortável e agradável, como o VLT (Veiculo Leve sobre Trilhos), BRT (Bus Rapid Transit ou Trânsito Rápido por Ônibus), Metrô. Somente a momentânea ausência da circulação de ônibus na região central, devolveu a Cuiabá sua IDENTIDADE VISUAL.

Mas como mudar isso? Talvez a solução esteja em devolver o centro aos Cuiabanos de nascença e de coração, restringindo o trânsito e permanência de veículos, dando maior espaço ao pedestre. A região central tem tudo para também ser um GRANDE PARQUE, bonito, seguro, limpo, restaurado, para circulação de pessoas. Pode ser viabilizado um meio exclusivo de transporte coletivo de pessoas, patrocinado pelo poder público, semelhante ao “Ligeirinho Paiaguás” (Micro-ônibus climatizado que circula no Centro Político Administrativo do Estado de Mato Grosso), ou um veículo ABERTO geralmente utilizado para o transporte TURISTICO coletivo.

Também pode ser implantados BOLSÕES de estacionamentos, a preços módicos, em terrenos vazios no entorno do centro histórico.
Teríamos então a retomada do Centro de nossa Capital, berço do que há de melhor em nossa Cuiabania.

O indispensável e sonhado VLT (Veiculo Leve sobre Trilhos) somaria a todo esse majestoso projeto, trazendo grande numero de pessoas ao Centro Histórico e Comercial, de forma rápida, confortável e agradável, para usufruir das praças, igrejas, utilizarem os órgãos públicos e fomentar o comércio e o turismo.
Cuiabá, és nosso encanto… (Hino de Cuiabá)

Gustavo Tiago da Silva Albino – Advogado Especialista em Trânsito, membro da Comissão de Trânsito da OAB/MT e Agente de Trânsito e Transportes de Cuiabá.

Artigos relacionados

Veja Também

Fechar
Fechar