DestaqueNotíciasPolítica

Estado não garante pagamento de salários dias 10

Na apresentação das contas dos primeiros quatro meses do governo do Estado, o secretário de Estado de Fazenda, Gustavo Oliveira, não assegurou que será pago o salário dos servidores públicos relativo ao mês de maio até o dia 10 de junho, data limite imposta pela Constituição estadual.

Recentemente, o governo do Estado remanejou R$ 162 milhões da folha de pagamento para a saúde pública com o intuito de regularizar repasses junto aos 141 municípios.

Por outro lado, foi assegurado que existe total empenho da equipe econômica do Estado para garantir a integralidade do pagamento dos servidores públicos sem transtornos.

“É a realidade. Não vamos soltar outras despesas antes de quitar a folha. A equipe está se esforçando para fazer a folha cair no dia 10 ou talvez até no dia 9. Se não tivermos os recursos depositados na conta do Tesouro até às 18h do dia 9, nem adianta mandar a folha para o banco, que ela vai voltar sem ter pago o servidor no dia 10 pela manhã”, explicou.

A folha de pagamento dos servidores públicos relativa ao mês de maio consome aproximadamente R$ 427 milhões dos cofres públicos. Deste montante, está assegurado o pagamento de R$ 145 milhões aos aposentados e pensionistas para o dia 8 deste mês.

Em resposta aos representantes do Fórum Sindical que compareceu a audiência pública, o secretário de Fazenda Gustavo Oliveira pediu compreensão a respeito da difícil realidade financeira enfrentada pelo Estado.

Ao mesmo tempo, solicitou que não promovam uma nova greve em razão das dificuldades para se pagar a RGA (Revisão Geral Anual), o que já levou o governo do Estado a apresentar a proposta de parcelamento, diante da dificuldade em se obter de imediato R$ 500 milhões para garantir o benefício aos servidores públicos.

“A única coisa que não tenho é máquina de fazer dinheiro. Eu não tenho como emitir papel moeda para financiar mais R$ 500 milhões. A Sefaz está à disposição para implementar o que for possível, mas precisamos pensar nos mais de três milhões de habitantes de Mato Grosso”, declarou.

Tags

Artigos relacionados

Fechar