DestaqueNotíciasPolítica

Emanuel Pinheiro negocia para levar ‘Cuiabá 300 anos’ para Sapucaí

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), afirmou que já iniciou as negociações para que a história de Cuiabá e seus 300 anos de existência sejam levados para o carnaval carioca em 2019. A ideia é que o tricentenário da Capital se torne samba-enredo e seja cantado no sambódromo da Marques de Sapucaí, no Rio de Janeiro.

O objetivo, segundo o prefeito, é divulgar as “maravilhas” de Cuiabá. A iniciativa é semelhante ao do seu apoiador na campanha eleitoral, ex-prefeito Chico Galindo (PTB), que firmou acordo de R$ 3,6 milhões para que Cuiabá fosse tema do desfile da escola de samba Estação Primeira de Mangueira. O acordo ocorreu em 2013.

Dessa vez, no entanto, o patrocínio para que Cuiabá seja tema de carnaval será por meio de recursos da iniciativa privada, segundo Emanuel. “(Vamos) divulgando e propagando Cuiabá e a nossa gente, nossos valores, em nível nacional e internacional. Mas em uma ação com uma parceria da iniciativa privada. Sem comprometimento de um centavo de dinheiro publico”, disse.

A intenção é que a parceria para o carnaval carioca ocorra do mesmo modo que vem sendo feito com as festividades de Réveillon, no Carnaval e no aniversário da cidade, em que uma cervejaria patrocina as atrações artísticas em troca do direito de exploração comercial nos eventos.

“Não comprometendo um centavo de dinheiro público, pode ter certeza que eu não vou pestanejar em articular e construir essa grande ponte para que Cuiabá seja cantada em verso e prosa no carnaval carioca de 2019”, reforçou.

O prefeito afirmou ainda que já se reuniu com a Rio Tur, órgão ligado à Secretaria Especial de Turismo do Rio de Janeiro encarregado pela execução da política de turismo, que evidenciou interesse na iniciativa proposta. “Falamos agora com a RioTur, que demonstrou interesse. Algumas escolas demonstraram interesse. Agora vamos partir para novas fases. Queremos uma parceria com a iniciativa privada”, repetiu.

Questionado sobre quais as escolas manifestaram interesse em cantar a historia de Cuiabá, o prefeito informou apenas que são 3 escolas, mas que está impedido de falar os nomes. “Eles até me orientaram que eu não posso falar. É uma norma interna deles lá. Até queria. Uma já formalizou oficialmente. Mas pediram para eu não falar porque isso causa”, encerrou.

Cuiabá na Mangueira

Em 2013, a Estação Primeira de Mangueira homenageou a Capital mato-grossense com o tema de samba enredo “Cuiabá – Um Paraíso no Centro da América”. A escola levou para a avenida 4 mil componentes, divididos em 48 alas e 7 alegorias. Os carros traziam referências ao Senhor Divino, São Benedito e muita religiosidade.

Na ocasião, deveriam ser investidos R$ 3,6 milhões, sendo R$ 1,6 milhão do poder público municipal e outros R$ 2 milhões da iniciativa privada. Porém, o valor que deveria ter sido pago por iniciativa privada não foi disponibilizado e a Prefeitura de Cuiabá precisou custear todas as despesas.

O contrato foi alvo do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) por meio do Ministério Público de Contas (MPC), que pediu, em 2017, que a escola de samba devolva R$ 669 mil aos cofres públicos, além de pagar multa. Isto porque o valor não foi justificado na prestação de contas feita ao TCE.

Por Karine Miranda/A Gazeta

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar